PLATAFORMA PARA A REUTILIZAÇÃO DE MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO


PROJETO PIONEIRO NA ECONOMIA CIRCULAR > Fase Piloto

Observa-se na sociedade atual uma cultura de desperdício, sendo o setor da construção o maior responsável na produção de resíduos. Procura-se encarar esta situação não como um problema, mas como uma oportunidade de mudança.
O Repositório de Materiais surge como uma resposta a esta situação, tendo lançado uma plataforma para a salvaguarda e valorização de materiais e componentes sobrantes da construção ou provenientes de obras de demolição/reabilitação com potencial de reutilização. Trata-se sobretudo de uma ferramenta inovadora que procura reunir e centralizar as relações entre as várias entidades que possuem estes materiais e quem procura. Os materiais em catálogo estão disponíveis para venda, de modo a permitir a sustentabilidade económica das atividades prosseguidas na missão do projeto.
Pretende-se promover através desta plataforma a economia circular no setor da construção, bem como a criação de novos locais para o depósito de materiais, mediante uma Rede do Repositório de Materiais, da qual podem fazer parte municípios, empresas de construção/demolição, técnicos do setor, entre outros.
O Repositório de Materiais está empenhado no estabelecimento de novas parcerias para o armazenamento de materiais, bem como com profissionais de conservação e restauro, carpintaria, upcycling e projetos sociais.


DISTINÇÕES / PRÉMIOS / APOIOS

O caráter inovador do Repositório de Materiais e a relevância no contexto da Economia Circular e Reabilitação Urbana Sustentável tem vindo a ser reconhecido por diversas entidades, tendo inclusivamente sido referenciado como exemplo no Plano de Ação para a Economia Circular em Portugal 2017-2020 (PAEC) do Ministério do Ambiente.


               


MISSÃO

O Repositório de Materiais nasce de uma reflexão sobre a envolvente atual, tendo ao mesmo tempo uma componente patrimonial, ambiental, cultural e social. Promove boas práticas de reabilitação urbana sustentável, envolvendo técnicos, empresas de construção/demolição, promotores, instituições de gestão local, entidades educativas, a comunidade em geral e outras entidades na mesma missão:
. Salvaguardar e disponibilizar materiais de construção antigos, possibilitando reabilitar edifícios com materiais contemporâneos da construção, alguns com particular valor patrimonial;
. Proteger e valorizar o património construído de forma integrada: estrutura e arquitetura, interior e exterior;
. Divulgar e valorizar os saberes construtivos tradicionais e a identidade local;
. Sensibilizar a sociedade para uma economia de recursos e proteção ambiental, reduzindo o desperdício e a formação de aterros;
. Apoio social em obras de reabilitação.


VISÃO

O Repositório de Materiais pretende conquistar até 2020 uma posição de destaque e referência a nível nacional na área da economia circular, no setor da construção. Deste modo, procura corresponder à meta europeia para 2020 de 70% de preparação para a reutilização, reciclagem e valorização de resíduos da construção e demolição (RCD).


POSICIONAMENTO GEOGRÁFICO

O Repositório de Materiais deu início às suas atividades em fase piloto no Porto, tendo-se já expandido para Lisboa. Numa fase seguinte, pretende-se alargar o seu âmbito de atuação por forma a atingir todo o território nacional.

TESTEMUNHOS

“A temática do Desenvolvimento Sustentável representa hoje uma preocupação e um desafio à escala global, perante as ameaças que pairam sobre o futuro comum da humanidade.
Vivemos num tempo de enorme abundância material, mas onde cresce paralelamente o desperdício de recursos e a sua inutilização para fins que poderiam ser socialmente úteis.
A reutilização e reciclagem de materiais, além da sua importância para a preservação de um ambiente saudável, é um imperativo moral e ético que a todos, pessoas e organizações, deve interpelar.
O Repositório de Materiais é um belo exemplo, e um exemplo a seguir.” [Novembro de 2017]

Rui Pedroto, Presidente da Comissão Executiva da Fundação Manuel António da Mota

"O Repositório de Materiais é uma excelente ideia que começa a ser materializada!
A reutilização de materiais de qualidade, valorizando peças únicas com uma componente artística e cultural faz todo o sentido na reabilitação urbana.
Para além de permitir aumentar o tempo de vida dos materiais, preservando o património arquitetónico e reduzindo a quantidade de resíduos a tratar, reduz a emissão de CO2 para a atmosfera."
[Novembro de 2017]

Benedita Chaves, Gestora da Unidade de Investigação, Desenvolvimento e Inovação da Lipor

“O Repositório de Materiais é um projeto inovador e um exemplo de excelência na área da reutilização e reciclagem de materiais. Tem sido um prazer para a equipa do município do Porto acompanhar, desde o início, o desenvolvimento da ideia, o modelo de negócio, a implementação do projeto e acima de tudo a capacidade desafiadora e lutadora da(s) sua(s) empreendedora(s).”
[Novembro de 2017]

Cláudia Costa, Chefe de Divisão Municipal de Intervenção Interinstitucional da Câmara Municipal do Porto

"Posso referir que se está a conseguir, com esta iniciativa, uma mudança de mentalidade e uma nova forma de olhar para os materiais e técnicas antigas, fazendo-nos refletir sobre a sua dignidade, convidando à sua reutilização, para já não falar das vantagens económicas e ambientais."
[Dezembro de 2017]

Filipe Ferreira, Administrador da AOF e Membro da direcção do GECoRPA (Grémio do Património)

"O Repositório de Materiais é um excelente exemplo de como podemos implementar os princípios da economia circular aos processos de gestão de resíduos, reconvertendo estes detritos em recursos com valor económico, ambiental e patrimonial, promovendo uma oportunidade de desenvolver ações que prolonguem o ciclo de vida dos produtos.
Assim, ao recorrer ao Repositório dos Materiais estamos a prevenir a produção de resíduos, na medida em que damos uma utilidade aos materiais de construção provenientes de processos de remoção, promovendo uma segunda oportunidade para estes produtos estamos a minimizar os impactes ambientais com a sua eliminação, como a libertação de CO2." [Janeiro de 2018]

Carmen Lima, Coordenadora do Centro de Informação de Resíduos da Quercus

PARCERIAS

RESPOSTAS A PERGUNTAS FREQUENTES

1. QUE TIPO DE MATERIAIS POSSO ADQUIRIR?

Estão disponíveis materiais provenientes de obras de demolição/reabilitação com potencial de reutilização, alguns do século XIX e início do século XX. Poderá encontrar o seguinte tipo de categorias:
. encerramento de vãos (portas, portadas, janelas e bandeiras de madeira maciça);
. estruturais/acabamento (travejamento de madeira maciça, materiais pétreos e clarabóias);
. equipamentos (bancadas de pedra, sanitários, etc.);
. revestimento exterior/impermeabilização (azulejos, soletas de ardósia, telhas e vidro);
. revestimento interior (soalho e mosaicos);
. ferragens/acessórios (gradeamentos, balaústres, fechaduras, dobradiças, maçanetas, aldrabas, puxadores, torneiras, etc.);
. elementos decorativos.
(Algumas destas categorias poderão não se encontrar disponíveis em catálogo. O Repositório de Materiais está empenhado no estabelecimento de novas parcerias para disponibilizar progressivamente uma maior abrangência de artigos.)

2. QUAIS SÃO AS VANTAGENS DE ADQUIRIR ESTE TIPO DE MATERIAIS?

A reutilização conduz a mais-valias económicas e patrimoniais.
Tratam-se de materiais que se encontram estabilizados, com prova de eficácia prestada pelo uso passado, pelo que a sua reutilização reduz futuras ações de manutenção.
Trata-se também de uma forma de contribuir para o meio ambiente, evitando desperdícios na construção e a formação de aterros. Por outro lado, a reutilização reduz o gasto energético na transformação/produção de novos materiais, permitindo uma poupança de recursos naturais e energia no processamento e reciclagem de materiais.

3. DE QUE FORMA POSSO CONSULTAR OS MATERIAIS DISPONÍVEIS?

Poderá aceder ao catálogo on-line neste link.
Caso tenha interesse em visitar/adquirir algum artigo, basta preencher este formulário, indicando as respetivas referências. 
Os materiais estão distribuídos por vários armazéns, de alguns parceiros, de modo que é importante uma seleção prévia para que seja encaminhado aos artigos da sua preferência.

4. ONDE ESTÃO LOCALIZADOS OS ARMAZÉNS DA REDE DO REPOSITÓRIO DE MATERIAIS?

Durante a fase piloto, os armazéns estão localizados no Porto e Lisboa.
Futuramente, pretende-se que a localização seja mais diversa, por forma a atingir todo o território nacional.

5. DE QUE FORMA POSSO ADQUIRIR OS MATERIAIS?

Por questões de sustentabilidade, os artigos catalogados estão disponíveis para venda, sendo possível em alguns casos a preço simbólico a famílias carenciadas.

6. QUAL É A GARANTIA NA AQUISIÇÃO DESTE TIPO DE MATERIAIS ANTIGOS/USADOS?

Terá a oportunidade de avaliar cuidadosamente o estado de conservação dos materiais diretamente nos armazéns, previamente à aquisição.

7. NÃO ENCONTRO NO CATÁLOGO OS MATERIAIS QUE PROCURO. PODEM TENTAR LOCALIZAR?

Por motivos de logística interna, não nos é possível tentar localizar materiais com características específicas. Excecionalmente poderá acontecer, caso coincida com um período de visita aos armazéns dos nossos parceiros, bastando para isso enviar um e-mail com essa solicitação.

8. PORQUE MOTIVOS SE DEVE FAZER A TRIAGEM E VALORIZAR OS RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO E DEMOLIÇÃO (RCD)?

“A reciclagem e valorização dos RCD assentam numa adequada triagem dos resíduos no local de produção – a obra. Este procedimento permitirá uma correta separação dos diferentes materiais (sem misturas ou contaminações com detritos de outra natureza), melhorar a gestão dos resíduos na obra, bem como aumentar a qualidade do resíduo enviado para reciclagem e, posteriormente, a qualidade do produto reciclado.
A triagem dos RCD em obra é também uma obrigatoriedade legal, conforme definido no Decreto-Lei n.º 46/2008, de 12 de março, para além de ser a única forma de preparar o mercado para o cumprimento das taxas de reciclagem de 70%, a partir de 2020, de acordo com o definido no Decreto-Lei n.º 73/2011, de 17 de junho.”
(Ler o texto completo neste documento ​elaborado e cedido pela Quercus ao Repositório de Materiais).

Poderá ainda consultar um resumo da Agência Portuguesa do Ambiente relativo à meta europeia para 2020 de 70% de preparação para a reutilização, reciclagem e valorização de RCDs.

9. TENHO MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO ANTIGOS/USADOS COM POTENCIAL DE REUTILIZAÇÃO. COMO POSSO ENCAMINHAR PARA O REPOSITÓRIO DE MATERIAIS?

Por favor preencha este formulário​, entraremos em contacto consigo.

CONTACTOS

Tem materiais de construção sobrantes de obras de reabilitação/demolição, com potencial de reutilização e não sabe para onde encaminhar?

Por favor preencha este formulário



Subscreva a newsletter do Repositório de Materiais e acompanhe todas as novidades

Para outras questões, por favor envie um e-mail para geral@repositoriodemateriais.pt